A saúde e o ambiente de trabalho

Não é novidade que o ambiente em que uma pessoa está inserida é capaz de impactar de forma positiva ou negativa em sua vida. E isso não seria diferente ao falarmos do ambiente de trabalho.

Pesquisas apontam que o stress e falta de organização no local de trabalho fazem parte da grande fatia de afastamentos e demissões por parte dos funcionários.

Os ruídos excessivos causam a chamada poluição sonora que é vista como grande vilã na falta de concentração. Menos concentração = menos produtividade.

O que acaba gerando um ciclo vicioso, pois quanto menos produtivo é um funcionário, mais cobrança ele acaba recebendo e quanto mais pressionado ele se sente, mais os níveis de stress e ansiedade aumentam.

Detectando o problema 

Jornadas intensas, horários inflexíveis, assédios, falta de organização, excesso de demandas. São várias as causas que culminam em uma árdua crise de stress ou surto.

Por isso, a OMS (Organização Mundial da Saúde) tem incentivado cada vez mais gestores de todo mundo a adotarem medidas que transformem o ambiente de trabalho, gerando bem-estar físico e mental para seus colaboradores.

O primeiro passo é identificar onde está a raiz do problema e a partir disso criar planos que possam ser inseridos rapidamente e de forma eficaz na rotina da empresa.

O papel do líder nesse processo é de suma importância, pois muitas vezes o próprio colaborador não é capaz de identificar sozinho que está passando por um quadro intenso de stress.

Criar um ambiente mais dinâmico, organizado e leve não é tão difícil quanto parece e acaba trazendo ganhos imensuráveis para os resultados da empresa e a saúde de todos os funcionários.

Afinal, vale sempre lembrar: colaborador feliz = colaborador produtivo.

Rafael Rebelato