Humanização do serviço é essencial para a recuperação do paciente

Muitos profissionais de saúde buscam aumentar o nível de experiência do paciente. Seja na jornada, na interpretação do atendimento ou até mesmo na visita dos familiares. Nos dias de hoje, essa é uma das prioridades das organizações de saúde, mesmo que muitos não entendam ainda a necessidade.

Muitos profissionais de saúde buscam aumentar o nível de experiência do paciente. Seja na jornada, na interpretação do atendimento ou até mesmo na visita dos familiares. Nos dias de hoje, essa é uma das prioridades das organizações de saúde, mesmo que muitos não entendam ainda a necessidade.

O desenho dessa experiência deve ser algo inclusivo para os que frequentam e para todo o corpo clínico que se mobiliza para fazer dar certo, integrando essa solução de forma convergente e olhando pela vertente das empresas de facilities, é considerada uma obrigação a entrega de um trabalho bem feito, baseado em tecnologia, para  integrar diversos níveis de experiência.

Assim, a experiência do paciente torna-se um esforço integrado, entre todos os “braços” das equipes que trabalham na entidade de saúde. “Um corpo clínico de excelência garante um ambiente ao paciente com conforto e segurança para progredir durante todo o seu processo de recuperação”, comenta Fabrícia Cotrin, gerente assistencial do Hospital Vila Nova Star, durante apresentação no Congresso Hospitalar Facilities ocorrido em maio, em São Paulo, durante a Hospitalar 2019.

O cuidado com o paciente não diz respeito apenas aos médicos e enfermeiros. O setor de facilities chega como um fator fundamental, peça-chave para as entidades. “Acolher, resolver e fazer a diferença. O toque de humanidade no cuidado e no atendimento dos clientes é um ganho importante para as instituições por meio da gestão de facilities”, afirma a gerente.

Transformação digital x experiência do usuário

Fortalecer a experiência do paciente, muitas vezes significa implementar passos simples que poderiam fazer a diferença para os pacientes. Engajar, principalmente com meios tecnológicos é essencial. Entretanto, o paciente quer ser atendido com os melhores equipamentos e com os melhores profissionais.

A transformação ocorre quando se entende o propósito. Tanto da equipe, quanto do usuário, com relação aos meios tecnológicos. Por exemplo, por meio da inteligência artificial é possível calcular um tempo médio de internação do paciente, exibindo a assim a jornada do usuário dentro da instituição fazendo o mesmo entender todos os passos que ele dará dentro do hospital.

Ainda de acordo com Fabrícia, ter boas soluções tecnológicas não significa maturidade nos processos e muito menos sinônimo de sucesso e satisfação do cliente. Nesses pontos, os treinamentos são essenciais para alcançar a excelência. “Os terceiros precisam estar totalmente integrados, é fundamental que eles estejam engajados no acompanhamento ao nosso paciente. O treinamento comportamental é importante, traz situações do cotidiano do hospital, colocando o colaborador para participar desse cenário”, finaliza.

vrabelo@apoioecolimp.com